Publicado em Cinema

I'll Be Back

Pessoal, estou viajando de Lua-de-Mel…
Volto dia 09/01/08, então…
Quem vai ficar postando por aqui (espero) é o Romulo!!!
Abraços pessoal e até a volta…

Publicado em Cinema

Nada se cria, tudo se copia!

Fala pessoal!

Hoje (quase) nada se cria, tudo se copia! E Hollywood sabe muito bem isso. Tanto que recentemente poucos filmes são “originais”, criativos e vieram de uma “idéia” recente.

Podemos contar no dedo quantos filmes recentes não foram adaptados de livros ou história em quadrinho, ou então versões de desenhos animados e até mesmo refilmagem.

Acho que os últimos filmes “totalmente originais” que vi foram Mais Estranho que a Ficção e O Brilho Eterno de uma Mente Sem Lembrança. Não me recordo de outro que tenha me chamado a atenção para sua originalidade recentemente.

Não sei se é falta de criatividade para escrever um roteiro bom ou se é porque Hollywood pensa “se deu certo nos quadrinhos/televisão/livro/filme clássico vai ter que dar também hoje em dia”.

Pois bem, o fato é que não podemos fugir das adaptações nem das novas versões de tudo que existe que pode ser transformado em filme, mas só sei que muitos dos filmes fazem sucessos graças ao seu apelo visual e não pelo conteúdo, o que é uma pena.

Pra finalizar fiquem com o novo trailer de (mais uma) adaptação de desenho. Não vou dizer que filme é, vejam vocês mesmo.

Abraços

Publicado em Cinema

Mini comentários

Oi pessoal, como foi o final de semana?

Estou com o tempo meio corrido hoje (já falei o porque alguns há tópicos) então vou fazer uma mini-crítica de alguns filmes que vi recentemente

  • Escola de Idiotas – Não se deixe enganar pelo título. Este filme represente muito mais do que passa pela capa e pelo nome. Uma comédia muito bem elaborada, atuada e muito mal divulgada. Eu ri do começo ao fim. Bom para ver com uns amigos e com um balde (enorme) de pipoca. Nota 8
  • Apocalipto – Último filme dirigido por Mel Gibson. Conta a história de uma civilização Maia, que enfrenta tradições e inimigos nesta história dramática totalmente falada na linguagem Maia. Um filme forte, com cenas fortes e um visual bonito. Veja com a (0) namorada(o). Separe uma caixa de lenços (para ela, lógico). Nota 7
  • Zodíaco – Baseado em um (real) serial killer, matou várias pessoas e chamava a atenção da mídia mandando cartas para jornais contando detalhes de suas vítimas. Enviava (também) uma mensagem em códigos contendo alguns detalhes que (teoricamente) ajudariam a ser capturado. O filme prende até sua metade. Depois fica cansativo, repetitivo e enjoativo. Muito longo (mais de 3 horas). Nota 5
  • Um Bom Ano – Filme agradável para se ver acompanhado. Separe vinho (você vai precisar). Nota 7
  • A Grande Familia – O Filme – Não consegui assistir nem 20 minutos deste filme de tão ruim que é. Então nem vou dar nota!
  • 007 – Cassino Royale – De longe, o melhor filme do 007 já feito. Daniel Craig convence como James Bond. Fica um gosto de “saí o próximo filme logo…”. Nota 8
Por hoje é só. Até a próxima!

Beijos e abraços

Vítor Fleury

Publicado em Cinema

Diz-me com quem andas que te direi quem és

Foi com conhecidos ditados populares como “antes só do que mal-acompanhado” e “diz-me com quem andas que te direi quem és” em mente que Antes só do que mal-casado provavelmente foi bolado. Esse é o tipo do filme que todo homem deve assistir. Primeiro, porque ensina valiosas lições sobre a escolha de uma mulher, tendo em mente que você, meu amigo, vai acordar olhando para sua lata todo santo dia. Segundo, porque é de rachar o bico de tanto rir.

Ben Stiller por si só já é uma razão para assistir a esse filme, o cara realmente consegue fazer comédia, e seus personagens são sempre cômicos – mesmo tentando retratar o mais comum dos homens: o cara que não consegue casar, que passa anos enrolando a noiva e acaba terminando o relacionamento assim mesmo, só porque a simples idéia de passar o resto da vida com uma pessoa só já lhe dá frio na espinha. Não que seja safado, obviamente – apenas não quer ter que se arrepender depois.

É justamente disso que fala o filme: do cara que, depois de muito tempo consege casar, mas faz isso com tanta pressa que se casa com alguém que mal conhece. Quisera ele ter passado só uma semana morando com ela…

Claro que ele se arrepende, e pior, encontra durante sua lua-de-mel alguém que realmente compensa o esforço de se compartilhar a vida. E a partir daí muitas confusões rolam, e quem ganha somos nós, rindo como doidos.

Enfim, recomendo o filme para quem gosta de rir, e para todos que pensam em se casar – para que pensem bem e façam a coisa certa. E, deixando claro que não sou contra o casamento (até porque já sou casado há quase 2 anos e moramos juntos há 3).

Abraços e boas risadas!