Publicado em Cinema

Piranha 3D: desligue seu cérebro e relaxe

Por: Caio Baptista

No meu post de estréia no blog farei uma crítica ao remake e homenagem em terceira dimensão do clássico trash de 1978 de mesmo nome.

Piranha 3D tem apenas um propósito: diversão fácil e descomprometida.

Coloque na tela um grupo de jovens inconseqüentes festejando na beira de um lago; peitos em 3D; um diretor fazendo um filme pornô num barco; mais peitos em 3D; e uma policial tentando evitar, sem êxito obviamente, que os jovens sejam devorados por piranhas jurássicas liberadas no local devido a um acidente geológico. Pronto, já temos os ingredientes necessários para um filme superficial ao extremo, preocupado apenas em mostrar o que interessa por aqui: carnificina e um baile de sangue pra deixar Beatrix Kiddo (Kill Bill, 2003) com inveja dos peixinhos. É um genuíno filme exploitation.

E se o exploitation é o uso exagerado do apelativo de forma consciente, o diretor Alexandre Aja fez isso com primazia. Para os apreciadores deste gênero o filme sem dúvida é um prato cheio, você é fã de Planeta Terror, Machete, O Albergue? Então vá em frente, Piranha 3D foi feito pra você. Mortes de todas as formas e tipos, gritos desesperados, beijos lésbicos, nudez feminina, e até briga de algumas piranhas pelo pênis de um personagem (E você achava que já tinha visto de tudo no cinema hein? Bizarro é pouco). Ahhh, E TUDO ISSO EM 3D!

E falando no efeito 3D, considero que o trabalho foi até competente uma vez que o filme não foi gravado com a nova tecnologia mas convertido na pós-produção.

Bom, se história pouco importa em Piranha 3D, o elenco menos ainda afinal as protagonistas são as piranhas (tanto os peixes quanto aquelas de silicone e pouca roupa). É aquela história, filme B elenco igualmente B. Só quero destacar a aparição de Christopher Lloyd, o Dr. Emmet Brown da Trilogia De Volta para o Futuro.

Então entre no cinema, desligue o cérebro e prepare-se para a diversão trash e assumidamente picareta.

Trailer:

Piranha 3D (Piranha 3D) – 88 min

EUA – 2010
Gênero: Terror
Direção: Alexandre Aja
Roteiro: Pete Goldfinger, Josh Stolberg
Com: Richard Dreyfuss, Ving Rhames, Elisabeth Shue, Christopher Lloyd, Eli Roth, Jerry O’Connell, Steven R. McQueen

Anúncios

Autor:

Estudante de Direito, amante de cinema e tecnologia em geral, viciado em Beatles e sedentario por opção.

5 comentários em “Piranha 3D: desligue seu cérebro e relaxe

  1. Uma definição muito clara e eficaz sobre este ‘projeto’ trash de filme. É possível para uma grande maioria de telespectadores e não cinéfilos ficar excitado com as palavras encontradas no cartaz na entrada no cinema “Suor, Sexo e Sangue”, um detalhe é que neste primeiro filme (pasmem, tudo indica que terá o segundo) só é possível encontrar Suor e Sangue (em excesso), algo que me fez lembrar dos filmes do renomado diretor/ator Quentin Tarantino.
    Uma nudez excessiva é um elemento forte em especial na cena da gravação do filme ‘pornô’ (sem sexo) onde duas mulheres ficam nadando no Victoria Lake ou Lake Victoria imitando dois peixes por cerca de alguns minutos, um momento para fazer os ‘marmajos’ ficarem com cara de ‘to vendo mulher nua’ e surgirem balões de pensamentos nada puros e as mulheres a comerem pipoca porque com certeza é a melhor coisa a ser feita… a menos que seu companheiro seja um gentleman e queira dar uns agarros neste momento.
    Vale assistir se você quer um 3D razoavelmente bom, muito sangue e mulher pelada.

  2. Muito bom o post, ainda não assisti ao filme, mas já tenho uma idéia exata de como ele deve ser. Parabéns!!

  3. Cara, muito bom esse post!
    Deu uma idéia legal do filme.
    Texto inteligente e bem humorado.
    Parabéns!

Os comentários estão encerrados.