Publicado em DVD/Blu-ray

Game com pipoca: The OneChambara

Oi pessoal!

Não sou fã dessa história de “especial de fim de ano”,  retrospectivas e coisas afins. Portanto, para a última coluna do ano (oooohhh!!), vou falar de um filme desconhecido, baseado em um jogo conhecido por poucos (e mais os japoneses).  Trata-se de The OneChambara. Algo como Bikini Zombie Slayers (Matadoras de zumbis que usam biquíni).

Movie poster

A franquia de games de ação é desenvolvida pela Tamsoft e foi lançada pela primeira vez para PlayStation 2, em 2004. Depois foi portada para telefones celulares, Xbox360 e Wii. O principal mercado do jogo é o japonês, mas houve o lançamento no ocidente (como Zombie Zone na Europa). As duas últimas versões: OneChambara VorteX e OneChambara Revolution, para Xbox360 e Wii, respectivamente, foram também lançadas nos EUA e Europa, com os respectivos títulos de OneChambara: Bikini Samurai Squad e OneChambara: Bikini Zombie Slayers.

Continuar lendo “Game com pipoca: The OneChambara”

Publicado em Cinema

Disney lança pôsteres para a campanha de Toy Story 3 no Oscar 2011

E a Disney está mexendo os pauzinhos para colocar o longa de maior bilheteria de 2010, Toy Story 3, entre os indicados de Melhor Filme do Oscar 2011. Para tanto foram criados alguns pôsteres dos personagens de Toy Story fazendo referências a sucessos do cinema.

Depois daquele “Ken” meio jeitoso, faltou só o pôster de “O Segredo de Brokeback Mountain”.

Veja alguns:

O Senhor do Anéis: O Retorno do Rei


Titanic

 

Shakespeare Apaixonado

 

Quer mais? Acesse o Omelete e veja todos os pôsteres.

Publicado em Cinema

Os 15 Filmes que devem animar 2011

A volta de Jack Sparrow, o fim de Harry Potter e a chegada de Thor o Deus do Trovão prometem diversão nos cinemas.

O site Último Segundo relacionou 15 filmes que devem badalar as salas de exibição do país e fazer do próximo ano um período especial para o cinema.

“Bravura Indômita” (21 de janeiro): Refilmagem de um clássico homônimo, estrelado por John Wayne em 1969, vem sendo tratado como um retorno às raízes do Western. Conta a história de um velho xerife (Jeff Bridges) que auxilia uma órfã (Hailee Steinfeld) a capturar o assassino de seu pai (Josh Brolin).

 

“Um Lugar Qualquer” (28 de Janeiro): Foi vencedor do Leão de Ouro no Festival de Veneza 2010. Conta a história de um ator encrenqueiro (Stephen Dorff) que vive no Hotel Chateau Marmont, em Hollywood, e que é forçado a rever suas escolhas ao receber a visita da filha de 11 anos (Elle Fanning).

 

“Cisne Negro” (04 de fevereiro): O filme retrata a conturbada relação de uma dançarina de balé (Natalie Portman) e sua possível rival (Mila Kunis) durante o período de estréia de um espetáculo. Este filme deve estar na lista do Oscar 2011.

 

“O Discurso do Rei” (04 de fevereiro): É baseado na história real do monarca inglês Jorge VI (Colin Firth), o filme aborda o momento decisivo na vida do governante, que durante a 2a. Guerra Mundial precisa vencer a gagueira nervosa e levar o país à vitória. É um forte concorrente ao Oscar 2011.

 

“Sucker Punch – Mundo Surreal” (25 de março): é a história da garota (Emily Browning) que é internada em uma instituição mental por seu padrasto e acaba refugiando-se em sua imaginação, um mundo que mistura dragões, militares, samurais e diversas referências do universo nerd.

 

“Rio” (08 de abril): Do mesmo diretor de A Era do Gelo, o brasileiro Carlos Saldanha se prepara para lançar Rio, animação que mostra a aventura de um pássaro caseiro norte-americano que é levado para o Rio de Janeiro para acasalar com uma fêmea de sua espécie, e acaba sequestrado por criminosos.

 

“Thor” (29 de abril): A Marvel resolveu produzir filmes dos heróis que integram a equipe de Os Vingadores. O filme Thor conta a história de como o Deus do Trovão (Chris Hemsworth) foi banido por seu pai e exilado na Terra.

 

“Piratas do Caribe: Navegando em Águas Misteriosas” (20 de maio): Apesar de ser o quarto filme da franquia, o filme inaugura uma nova etapa na vida do capitão Jack Sparrow (Johnny Depp),  sendo a primeira parte de uma trilogia que deve fazer tanto sucesso quanto a original. Dessa vez Jack promove uma busca pela mítica fonte da juventude acompanhado de uma misteriosa mulher (Penélope Cruz) e do temido Barba Negra (Ian McShane).


“Se Beber, Não Case! 2” (27 de maio): Devido ao grande sucesso obtido pela comédia Se Beber, Não Case em 2009, seus produtores prepararam uma segunda aventura para os amigos Phil (Bradley Cooper), Stu (Ed Helms), Doug (Justin Bartha) e Alan (Zach Galifianakis). Dessa vez, ao invés de passar por uma despedida de solteiro em Las Vegas, o quarteto protagoniza um inocente café da manhã na Tailândia, porém as coisas não acontecem como esperado.

 

“Lanterna Verde” (17 de junho): Grande aposta da DC Comics para 2011, a versão cinematográfica de Lanterna Verde contará a história de como o piloto de testes Hal Jordan (Ryan Reynolds) foi escolhido pelo anel para tornar-se um guardião do universo.

 

“Carros 2” (24 de junho): A Pixar retoma a história de Relâmpago McQueen (Owen Wilson) e seu amigo Mate (Larry the Cable Guy) em Carros 2, que deixa de ser uma animação exclusiva sobre corridas para ganhar ares de espionagem, com direito a participação de Michael Caine como o agente secreto britânico Finn McMissile.

 

“A Árvore da vida” (01 de julho): O filme começa no Big Bang e avança até o futuro, e é centrado na perda da inocência de Jack O´Brien (Sean Penn) nos anos 50, com participações diretas de seu pai (Brad Pitt) e sua mãe (Jessica Chaistain).

 

“Harry Potter e as Relíquias da Morte – parte 2 (15 de julho): O último filme da saga do bruxo, tem tudo para tornar-se uma das maiores bilheterias do ano, mostrando aos fãs o tão esperado combate final entre o adolescente Harry Potter (Daniel Radcliffe) e seu inimigo mortal, o vilão Lord Voldemort (Ralph Fiennes).

 

“Captain America – The Firts Avenger” (29 de julho): Ainda sem nome oficial em português, o longa-metragem do Capitão América promete revelar ao público a origem do herói, ainda na 2a. Guerra Mundial, período em que o franzino Steve Rogers (Chris Evans) submete-se a um experimento militar e acaba tornando-se o soldado perfeito do exército norte-americano, fazendo frente ao vilão nazista Caveira Vermelha (Hugo Weaving).

 

“A Saga Crespúculo: Amanhecer – Parte 1” (18 de novembro): Assim como ocorreu com Harry Potter, o último filme da Saga Crepúsculo foi dividido em duas partes, o que permite que a trama seja melhor adaptada às telas e garante mais tempo das fãs diante do triângulo amoroso formado pela humana Bella (Kristen Stewart), o vampiro Edward (Robert Pattinson) e o lobisomem Jacob (Taylor Lautner).

 

Publicado em Cinema

Crítica: Tron – O Legado

Se você nasceu nos anos 70 ou jogou a série Kingdom Hearts no bom e velho PlayStation 2 já deve ter ouvido falar de Tron – Uma Odisséia Eletrônica (Tron, 1982). O filme original, dirigido por Steven Lisberger, foi revolucionário na época por ter sido um dos primeiros a usar  computação gráfica em grande escala e, embora tenha sido um fracasso de público, tornou-se uma espécie de filme “cult” idolatrado por fãs de ficção científica.

Tron – O Legado (Tron – Legacy, 2010) se passa após alguns anos dos eventos do filme original e conta  a história de Sam Flynn (Garrett Hedlund), o filho de 27 anos de Kevin Flynn (Jeff Bridges), que pesquisa sobre o desaparecimento de seu pai e acaba sendo “abduzido” para o mesmo mundo virtual no qual Kevin vive há 25 anos. Ok, ok… é verdade que a história parece meio sem sentido e infantil para os nossos dias, mas é bom lembrar que é um filme Disney em 1982, quando o primeiro filme foi lançado, computadores e jogos eletrônicos eram novidades para a maioria das pessoas e a trama de ficção científica proposta por Tron fazia mais sentido.

Na verdade o que incomoda em Tron – O Legado não é a história que destoa com o século XXI, mas sim a forma superficial que ela é contada. Tudo é explicado demais, maniqueísta ao extremo, os excessos de clichês saltam a tela e os personagens são rasos e sem carisma, com exceção do Castor, interpretado de maneira brilhante por Michael Sheen. O diretor, Joseph Kosinski, poderia ter aprofundado mais a história nos instigando a tentar desvendar os mistérios pro trás do GRID (como é conhecido o mundo virtual), infelizmente não é o que acontece e tudo é mostrado de forma bem mastigada.

“Mas SessaoLotada, como vocês estão sendo irritantes com a crítica do filme, eu só queria assistir Tron por causa dos efeitos especiais e pela trilha sonora do Daft Punk, será que vou me decepcionar?”

Calma caro “User”, é partir do momento que Flynn (filho) entra no GRID que o  dinheiro que você gastou na bilheteria do cinema começa a valer a pena. O visual futurista é impressionante, as cenas no mundo virtual enchem os olhos e os games do GRID empolgam trazendo o visual futurista de um mundo sob a ditadura dos programas de computador. Gosta de videogame? Você terá explosões a la Geometry Wars, motos inspiradas (ou que inspiraram) Extreme-G e algumas cenas que remetem ao bom e velho Space Invaders.

A trilha sonora do filme merece um destaque a parte, ela foi inteiramente criada pelo Daft Punk e está SENSACIONAL! Compre a soundtrack do filme o quanto antes, você não vai se arrepender. A consagrada dupla francesa se superou e as músicas se encaixam com perfeição em cada cena ajudando (e muito!) na imersão no mundo proposto por Tron. Prevejo mais uma estatueta para Chrostopher Boyes, sound designer do filme.

Daft Punk

Tron – O Legado acerta na qualidade dos efeitos especiais e numa trilha sonora empolgante mas peca ao apresentar uma história bem superficial e fácil demais, com uma quantidade tão grande de clichês que vai deixar qualquer escritor de novela mexicana com inveja. No final das contas vale a pena assistir, principalmente se você gostar de ficção científica ou tiver assistido ao primeiro filme.

Trailer:


 

Publicado em Cinema

Trilogia de Star Wars ganha novos (belos) cartazes

Finalizada em 1983 com O Retorno de Jedi, a trilogia original de Star Wars volta a tona ao ganhar novos cartazes.

Os pôsteres foram desenvolvidos pelo ilustrador Olly Moss, tendo sido produzidas 400 edições de cada um. Todos os pôsteres se esgoraram no primeiro dia de vendas.

A LucasFilms aprovou todos os cartazes, o que fez com quê fossem considerados pôsteres oficiais da série.

Os fãs da franquia criada por George Lucas pagaram US$ 50,00 por cada cartaz ou US$ 150,00 pelo conjunto dos três.

Confira (os belos) novos pôsteres de Guerra nas Estrelas, O Império Contra-ataca e O Retorno de Jedi: